Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Sim, corrupção fede!

Imagem
No final do ano passado, a ONG Transparência Internacional divulgou a 20ª. edição do Índice de Percepção da Corrupção mundial. Foram analisados 175 países e avaliados com notas de zero (mais corruptos) a dez (menos corruptos). Os dois países menos corruptos do mundo foram Nova Zelândia e Dinamarca, com nota 9,2. Estados Unidos ficou em 17º. lugar, com nota 7,4. Os dois piores foram Somália e Coréia do Norte, com nota 1,0. Os dois melhores da América do Sul foram o Chile e Uruguai, com notas 7,3. O pior país da América do Sul foi a Venezuela, com nota 1,9. Bolívia e Argentina tiveram notas 3,5 e 3,4 respectivamente. O Brasil ficou na 69ª. posição, com nota 4,3.



Com os futuros desdobramentos do Petrolão, que já foi apontado como o maior caso de corrupção do mundo, esse índice poderá piorar muito no próximo ano. Tudo vai depender da vontade política do Brasil em punir os culpados e resgatar os valores da Petrobrás. Se o governo tentar preservar o núcleo político e encobrir os que coloca…

Sabedoria indígena: o que os povos da Amazônia sabem, e nós não sabemos

“Você não frequentou a faculdade de medicina, não é?”

O xamã disse: “Não, não frequentei.”

Ele disse: “E o que você sabe sobre curar doenças”?

O xamã olhou para ele e disse: “Sabe, se você tem uma infecção, vai ao médico. Mas muitas aflições humanas são doenças do coração, da mente e do espírito. A medicina ocidental não chega à elas, eu as curo.”

(Aplausos)


Via: CONTIoutra

Uma lenda do Polo Norte: sobre a importância da palavra

Imagem
Conta uma lenda esquimó que na aurora do mundo não havia qualquer diferença entre homens e animais: todas as criaturas viviam em harmonia sobre a face da Terra, e cada uma podia transformar-se na outra, a fim de entendê-la melhor. Os homens viravam peixes, os peixes viravam homens, e todos falavam a mesma língua.

“Nesta época”, continua a lenda, “as palavras eram mágicas, e o mundo espiritual distribuía fartamente suas bênçãos. Uma frase dita ao acaso podia ter estranhas consequências; bastava pronunciar um desejo que este se realizava”.

Foi então que todas as criaturas começaram a abusar deste poder. A confusão se instalou, e a sabedoria se perdeu.

“Mas a palavra continua mágica, e a sabedoria ainda concede o dom de fazer milagres a todos que a respeitam”, conclui a lenda.

Essa lenda foi recontada pelo escritor Paulo Coelho em sua coluna no Globo.

Via: CONTIoutra