3 técnicas de memorização poderosas no estudo para Concurso


Considero um Concurso Público como uma grande muralha, robusta e resistente, que deve ser ultrapassada por todos aqueles que sonham com um cargo público.

Antes de tudo, é preciso reconhecer que a muralha é a mesma para todos que querem superá-la. Para todos os candidatos ela tem a mesma altura e resistência.

Alguns candidatos se dedicam vagarosamente a escalar a muralha, tijolo por tijolo, até alcançar seu objetivo. Esse é um processo demorado, mas é perfeitamente viável. Outros preferem usar uma marreta, e tentam, com toda a força, destruir a muralha a golpes.

E há os candidatos que conseguem recursos extraordinários, como um trator, para superar o desafio da muralha de maneira mais rápida que os demais.

Obviamente, todos gostariam de ser um candidato que usa esses recursos, e o problema é: quais são eles? Onde encontrá-los?

Hoje vou mostrar a você 3 técnicas fundamentais de Memorização, que vão lhe introduzir neste fantástico mundo do treinamento do cérebro, uma forma bastante eficiente de derrubar a sua muralha, poupando muito tempo. Depois que aprendi técnicas como as que vou ensinar a seguir memorizo até números de telefone – e olha que não acreditava que isso era possível, pois achava minha memória “fraca”.

A verdade é que não existe memória “ruim”, o que existe é memória mal treinada. Se você treinar bem sua memória (com poucos minutos por dia), você dará um passo enorme rumo à aprovação. Mesmo não acreditando que isso seja possível, apenas leia este artigo até o final, e faça um teste.

Assim como eu, você se surpreenderá.

#1. Técnica do Encadeamento de Ideias Absurdas


O que é mais marcante em sua vida, momentos rotineiros ou momentos extraordinários?

Você provavelmente tem dificuldade de lembrar a posição que seus sapatos estavam ontem antes de calçá-los. Mas se você encontrar um rato dentro deles nunca mais irá esquecer, e até contará a estória para outras pessoas.

Isso porque nossa memória tem muito mais facilidade de manter registrados fatos inusitados, ridículos e absurdos, do que fatos rotineiros e comuns.

Se parece óbvio o que acabei de dizer, por que não aplicar esse conhecimento aos seus estudos, evitando que você esqueça partes importantes do que foi lido? Por que não transformar o que é aprendido de maneira monótona em coisas absurdas e inusitadas?

É justamente isso que você vai fazer nessa primeira técnica. Vamos a um exemplo.

Digamos que você precise memorizar a seguinte expressão (o início do artigo 5º da Constituição): “Todos são iguais perante a lei”.

Você pode simplesmente ler e tentar guardar isso em sua memória. Essa é a postura rotineira, monótona. Mas se você imaginar as pessoas da sua família andando, atravessando um enorme livro de leis e saindo todas iguais a você dificilmente irá esquecer essa expressão.

Perceba que não é preciso memorizar todo o conteúdo utilizando este método, mas alguns pontos relevantes podem ser eternizados em sua memória transformando-os em imagens absurdas e inusitadas. Seja criativo, use associações que são relevantes, engraçadas e extraordinárias para você.

#2. Técnica da concretização das ideias


A técnica de concretização das ideias é complementar à técnica anterior. Na verdade, ela torna mais fácil o encadeamento de ideais absurdas. Como assim?

Durante os estudos você encontrará várias palavras e expressões com difícil possibilidade de relacionamento. A palavra “princípio”, por exemplo, não é algo concreto, palpável, de modo que você possa colocá-la numa cena absurda, se relacionando com outros objetos.

Se você encontrar a seguinte pergunta numa prova: “Quais são os princípios constitucionais do Direito Administrativo?”. Os estudantes de Direito sabem que são Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência. Se você unir as iniciais terá a palavra “LIMPE”.

Usando a técnica da concretização de ideias, eu transformo “princípio” em “príncipe”, e imagino um príncipe se limpando após usar o sanitário para memorizar quais são os princípios. Isso me ajuda a não confundir “princípios” com “atributos” do Direito Administrativo, por exemplo – que já se trata de outra coisa.

Sempre que possível, transforme termos abstratos em termos concretos. Isso lhe ajudará muito a fazer associações e encadeamentos de ideias.

#3. Técnica da Trajetória


A técnica da trajetória é muito simples, mas bastante poderosa. Uso constantemente para memorizar listas – até mesmo aquelas que são ordenadas.

Por exemplo: digamos que você precise memorizar os presidentes brasileiros após a Constituição de 1988 (na ordem temporal). Para facilitar sua vida basta imaginar sua casa e, em cada uma das portas, até chegar na porta dos fundos, um dos presidentes apenas em pé, ou fazendo algo inusitado.

Se não conseguir imaginar cada presidente, concretize os nomes, como aprendemos no tópico anterior. Collor pode ser um tubo de cola. Sarney um cachorro com sarna. Lula uma lula (o animal), e por aí vai.

O grande recurso dessa técnica é associar ideias distantes a ambientes que você tem intimidade, e por isso mais facilidade para fixar em sua memória.

Faça o mesmo com o caminho que você faz ao trabalho, com o seu quarto etc.

Fonte: SdC

Comentários

Hot da semana

Top 10 Países Mais Racistas do Mundo

O estranho e inexplicável fenômeno da chuva de pedras

10 Histórias de Navios Fantasmas